Dinâmica de Epidemias

De MTC
Edição feita às 22h31min de 3 de maio de 2009 por Leon (Discussão | contribs)

(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)

Esta linha de trabalho é mais uma exemplo de modelos do tipo agent-based para estudar a transmissão de doenças em uma rede complexa considerando as probabilidades de contagio, a existência de agentes resistentes e, no caso de doenças sexualmente transmissíveis, de um certo grau de "promiscuidade" Como primeira etapa neste trabalho foi implementado um programa de simulação usando autômato celular que permitiu obter resultados promissórios sobre predição da evolução de doenças sexualmente transmissíveis, levando em conta o caráter social dos contatos sexuais entre pessoas. Consideramos para isto um modelo estocástico para a propagação de doenças sexualmente transmissíveis. Para isso foi implementado um programa de simulação usando autômato celular que permitiu obter resultados promissores sobre predição da evolução de doenças sexualmente transmissíveis (Kuperman e Gonçalves, 2003), levando em conta o caráter social dos contatos sexuais entre pessoas um estudo de propagação de epidemias sobre uma rede tipo small world para estudar a influencia dos vetores de transmissão sobre a propagação de uma doença. Neste momento estamos trabalhando em modelos que considerem o efeito de indivíduos resistentes, assim como aplicando um formalismo analítico, através da equação de Fischer, com o objetivo de aplicar os resultados ao estudo da propagação de outras doenças, como a febre aftosa bovina.